Games Switch

Resident Evil 7 Cloud Edition: A péssima surpresa da Capcom

Em uma lição de como atender os fãs da pior maneira possível, Resident Evil 7 só poderá ser jogado no Switch via streaming.

Essa semana, a comunidade da Nintendo foi pega de surpresa pela Capcom que, enfim, decidiu portar Resident Evil 7 para o Switch. Quer dizer, mais ou menos isso. A empresa japonesa resolveu testar algo “novo” no híbrido da Nintendo, e disponibilizar o game somente por streaming.

Novo somente para a Capcom, já que o Switch também conta com Phantasy Star Online 2 em sua biblioteca. A grande diferença é que o game da Sega é um MMORPG, o que justifica o uso constante de dados para sua utilização. Com servidores somente no Japão, qualquer tentativa de jogar Resident Evil 7 no Switch aqui no ocidente, mesmo com uma ótima banda, será um grande fracasso.

O site britânico Nintendo Life fez o teste em seu escritório, e o resultado foi longe do satisfatório. O servidor não aguentou até o final da cena de abertura e ainda assim travou bastante durante o tempo que ficou de pé.

Por outro lado, na terra do sol nascente, as conexões funcionaram muito bem, os botões corresponderam em tempo real, e a qualidade gráfica do jogo ficou bem próximo das versões dos consoles da Microsoft e Sony, variando a resolução de acordo com a banda, para não perder performance. Veja você mesmo a comparação:

Preguiça ou necessidade?

Com ports como Doom e Wolfenstein II muito bem feitos para o Nintendo Switch, a desculpa de hardware inferior não cola como justificativa para a Capcom, que se aproveitou do Nintendo Switch para testar um novo mercado.

Você nunca poderá chamar o jogo de seu. Resident Evil 7 Cloud Edition funciona como um aluguel: você paga ¥ 2.000,00 (aproximadamente R$66,00) e pode aproveitar o game, com todas DLC’s já lançadas, somente por 180 dias. Já pensou se a moda pega?

maxresdefault
Wolfenstein 2  – Nintendo Switch. É assim que se faz, Capcom!

Sem previsão para o mercado ocidental, Resident Evil 7 Cloud Edition é uma grande interrogação, principalmente para o mercado brasileiro e sua baixa banda de internet. Além de comprometer a principal característica do Nintendo Switch, que é a portabilidade, o game exige servidores próximos e uma ótima conexão para o bom funcionamento.

Para a Capcom, é apenas mais um jeito de aproveitar o mercado japonês e garantir dinheiro com um game que já não arrecada tanto como em seu lançamento, sem a necessidade de gastar com uma portabilidade propriamente dita. Que feio, Capcom!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s